efan - estudos nobricenses - associação

21 Dec 2016 por "Maria"

A 30 de novembro de 2005 nasceu a EFAN-ESTUDOS NOBRICENSES-ASSOCIAÇÃO no Salão-Biblioteca da Ribeira Seca, freguesia e concelho de Machico, na ilha da Madeira, com o objetivo de investigar e divulgar a obra do conterrâneo Francisco Álvares de Nóbrega, mais conhecido por “Camões Pequeno”, bem como a história e a literatura de Machico.

Palavras-chave: Estudos nobricenses; Associação; Camões Pequeno; Machico; poeta; literatura. [caption id="attachment_8508" align="alignleft" width="225"]Fig. 1 – Estátua de Francisco Álvares de Nóbrega (jardim da casa do escultor José Luís Alves Paixão) Fig. 1 – Estátua de Francisco Álvares de Nóbrega(jardim da casa do escultor José Luís Alves Paixão)[/caption]

A 30 de novembro de 2005, um conjunto de cidadãos encabeçado por José Martins Júnior constituiu a EFAN-Estudos Nobricenses - Associação por tempo indeterminado, sem fins lucrativos, de âmbito nacional, e com sede no Salão-Biblioteca da Ribeira Seca, freguesia e concelho de Machico, e com os seguintes objetivos: “a investigação e divulgação da obra de Francisco Álvares de Nóbrega bem como da história e literatura do concelho de Machico” (2.º Cartório do Funchal..., Estatutos, n.º 21, liv. 1517, fl. 20).

Com a constituição desta Associação, a data do aniversário natalício do contemporâneo de Manuel Maria Barbosa du Bocage, 30 de novembro de 1773, começou a ser assinalada de uma forma sistemática em variadíssimos locais e de distintas formas: com declamações de poemas, dando a conhecer novas investigações, oferecendo à estampa várias publicações, e com representações e musicalizações de textos; exemplo disto foi a musicalização e interpretação do soneto “À Pátria do Autor” pelo grupo coral da Associação Grupo Coral de Machico.

Dos primeiros anos de vida da EFAN, destacam-se três publicações: as Actas do Bicentenário de Francisco Álvares de Nóbrega (1773-1806), de 30 de novembro de 2006; uma antologia de importantes textos dos investigadores Ivone Alves, Rui Nepomuceno e Daniel Pires; o Processo da Inquisição n.º 15.764, um trabalho de 2007 da investigadora Ivone Alves, no qual é analisado o volume incompleto e restaurado do processo inquisitorial de Francisco Álvares da Nóbrega, com 28 fólios e data de abertura a 22 de junho e de encerramento a 13 de agosto de 1803; e o drama em um ato e quatro quadros denominado Camões Pequeno, de João França, editado em 2014, o qual “reproduz o ambiente sociopolítico vigente em Portugal na transição dos sécs. XVIII - XIX – ainda sob o regime da Inquisição – e pretende esclarecer “ao vivo” o drama e a obra de Francisco Álvares de Nóbrega» (FRANÇA, 2014, 77).

Fig 2 - Assinatura de Francisco Álvares de Nóbrega

Bibliog.: datilografada: 2.º Cartório do Funchal de Manuel Figueira de Andrade, Estatutos EFAN-Estudos Nobricenses-Associação,, n.º 21, liv. 1517, fl. 20, 30 nov. 2005; impressa: ALVES, Ivone Correia, “Para uma Biografia de Francisco André Álvares de Nóbrega”, in Francisco Álvares de Nóbrega 1773-1806. Bicentenário 2006-2007. Actas das Comemorações, Machico, EFAN-Estudos Nobricenses, 2007, pp. 11-26; FRANÇA, João, Camões Pequeno, Drama em Um Acto e Quatro Quadros, Machico, EFAN-Estudos Nobricenses, 2014; INQUISIÇÃO DE LISBOA, Processo n.º 15.764, Introdução e notas de Ivone Correia Alves, Machico, EFAN-Estudos Nobricenses, 2007.

Emanuel Ricardo Franco Sousa

(atualizado a 20.05.2016)

palavras-chave associadas