bandini, angelo maria

Nasceu em Florença, a 25 de setembro 1726 e morreu em 1803, em Fiesole, onde hoje há um museu em sua homenagem. Sacerdote e diretor de importantes bibliotecas florentinas, teve inúmeros compromissos académicos e foi um dos principais estudiosos italianos e europeus.

Frequentou a escola pública dos Jesuítas em Florença e a Universidade de Pisa. Colaborou com a revista Le Novelle Letterarie (As Notícias Literárias), da qual veio a ser diretor. Em 1748, mudou-se para Roma, onde decidiu abraçar o sacerdócio. Regressado a Florença, foi nomeado diretor da Biblioteca Marucelliana, em 1752, e da Biblioteca Laurenziana, em 1756. Em ambos os casos, aumentou o prestígio das instituições, especialmente graças aos catálogos monumentais que compilou: o Catalogus Codicum Manuscriptorum Graecorum Latinorum Italicorum Bibliotecae Medicea Laurentianae (1764-1788) e o Biblioteca Leopoldina Laurenziana (1791-93), apreciados pela riqueza e precisão das informações reunidas. Narrou diversas vidas e obras de humanistas, de forma sistemática e detalhada, dando provas dos factos históricos, coletando dados biográficos e fazendo estudos filológicos sobre as edições de textos e das correspondências dos autores. Neste leque de trabalhos está incluída Vita e Lettere di Amerigo Vespucci, Gentiluomo Fiorentino, Raccolte e Illustrate dall’Abate Angelo Maria Bandini (Vida e Cartas de Américo Vespúcio, Cavalheiro Florentino, Recolhidas e Ilustradas pelo Abade Angelo Maria Bandini), publicada em Florença, em 1745, na Stamperia all’Insegna di Apollo.

Na obra Vita e Lettere di Amerigo Vespucci, teve o mérito de dar atenção, pela primeira vez, ao humanista florentino Vespúcio, abrindo um debate animado e acabando por estabelecer Stanislao Canovai como uma fonte “muito louvável”, na medida em que confirmou a autoria das cartas de Vespucci, disponibilizando aos estudiosos documentos fundamentais sobre algumas viagens e passagens pela Madeira deste explorador. Os trânsitos pela Madeira foram centrais no debate histórico e científico moderno sobre a questão da longitude, que foi resolvida pelos cientistas europeus das gerações posteriores.

Bibliog.: CANOVAI, Stanislao, Viaggi di Amerigo Vespucci con la Vita, l’Elogio e la Dissertazione Giustificativa di Questo Celebre Navigatore, Firenze, dai torchi di Attilio Tofani, 1832; MAZZUCCHELLI, Giam Maria Gli Scrittori d’Italia, Brescia, Bossini Editore, 1758; ROSA, Mario, Dizionario Biografico degli Italiani, vol. 18, Roma, Istituto dell’Enciclopedia Italiana, 1963.

Valeria Biagi

(atualizado a 28.03.2016)