gouveia, francisco bento de

Francisco Bento de Gouveia nasceu a 16 de julho de 1873, no Sítio do Lugar, na Ponta Delgada, filho de José Bento de Gouveia e de Maria do Carmo Vieira.

Em 1889, o escritor tornou-se presidente da Orquestra Filarmónica de Ponta Delgada. Em 1897, casou-se com Firmina Mathilde d’Ornellas. Um ano mais tarde, nasceu o seu primeiro filho, Virgílio d’ Ornellas Bento de Gouveia, e em 1901 nasceu o segundo, Horácio d’Ornellas Bento de Gouveia, que viria a tornar-se escritor como seu pai.

Em 1900, tornou-se sócio-gerente da fábrica de destilação de aguardente (Engenho do Serrado), a Fábrica Conceição. Em 1906, tendo apenas a 4ª classe, exerce o cargo de redator-principal do Diário Popular.

Entre 1912 e 1914, continua com a sua paixão pelo jornalismo, e assume as funções de diretor do Diário da Madeira e do Almanaque Ilustrado, do mesmo diário. Em 1914, morre o seu filho mais velho, no Solar do Ladrilho.

Chega a fazer parte, em 1922, das festas do 5.º Centenário da Descoberta da Ilha da Madeira, com cargos tanto no pelouro do Turismo, como na Comissão de Concertos e Festas Musicais. No mesmo ano, funda a produtora Madeira Film, que veio a produzir os primeiros documentários sobre a Madeira, exibidos na própria Ilha, no Brasil e nos Estados Unidos, tendo encerrado em 1924.

Em 1927, foi para Lisboa e tornou-se colaborador do Diário da Manhã. Alguns anos depois, entre 1948 e 1949, criou em Lisboa a firma SIQUIL (Sociedade de Indústrias Químicas e Fenológicas) e inventou uma cerveja vínica, a Impermeabilis. Embora tivesse sido autorizado a fabricar e a pôr em prática o seu plano, a luta movida pelas empresas cervejeiras foi de tal modo intensa que não lhe permitiu adquirir apoios suficientes para realizar o seu sonho.

Em 1921, tornou-se secretário da Companhia Vinícola do Funchal, e em 1925 recomeçou como colaborador do Diário de Notícias do Funchal, função que manteve durante um ano.

Francisco Bento de Gouveia fez parte do conjunto de madeirenses que, em 1919, formaram o Grupo do Centenário, cuja formação esteve ligada às comemorações do V Centenário da Descoberta da Madeira (1419 – 1919). Faleceu em Lisboa, em 1956.

Bibliog.: impressa: SOARES, Maria de Fátima Gouveia, Francisco Bento de Gouveia 1873-1956: Vida e Obra, Editora Espaço XXI, (s/l), 2000.

Filipa Silva

(atualizado a 11.07.2016)