madeira interactive technologies institute (m-iti)

Madeira Interactive Technologies Institute (M-ITI) é um instituto sem fins lucrativos da Universidade da Madeira e do Madeira Tecnopolo, S.A. estabelecido como instituto de inovação no final de 2009.

O M-ITI opera no domínio interdisciplinar da Interação Humano-Computador (Human Computer Interaction HCI), que engloba contribuições das áreas disciplinares das ciências da computação, da psicologia, das ciências sociais e da criatividade e design.

No seu âmbito de atuação, a criação do M-ITI teve como objetivo principal o envolvimento em desafios científicos e tecnológicos de elevado impacto social e económico, tais como soluções tecnológicas para melhoria de acessibilidade, sustentabilidade, ensino e cultura. A visão do M-ITI é tornar-se um centro de influência reconhecido internacionalmente nas áreas de investigação.

Um dos factores chave no desenvolvimento do M-ITI tem sido o envolvimento, desde a data da sua criação, de Larry Constantine, um ACM Fellow (Association for Computing Machinery), de mérito reconhecido a nível mundial. Recentemente, Robert Spence, professor do prestigiado Imperial College London, também se associou ao M-ITI como Institute Fellow. Para além disso, o crescimento do Instituto ficou também a dever-se à parceria estabelecida entre o Governo Português e a Universidade de Carnegie Mellon (Estados Unidos da América), cujo objetivo é suportar o ensino e a investigação entre as Universidades Portuguesas e a Universidade de Carnegie Mellon (CMU).

Em 2013 o M-ITI ganhou uma das onze Cátedras do Espaço Europeu da Investigação criadas no âmbito do Programa-Quadro Horizonte 2020, o que permitiu reforçar a capacidade de investigação do instituto com a integração de novos doutorados. Para liderar a equipa foi contratado Christopher Csikszentmihályi, um artista/designer que é conhecido pelos seus projetos inovadores.

No M-ITI trabalham investigadores, estudantes de doutoramento e alunos de mestrado, portugueses e internacionais. O Instituto mantém em execução uma carteira de projetos financiados pelos mais diversos fundos (regionais, nacionais e europeus). Pelo mérito de excelência do trabalho científico produzido neste instituto, o M-ITI passou a integrar, em 2011, o Laboratório de Robótica e Sistemas em Engenharia (LARSyS). Em 2015 o M-ITI viu reconhecido o trabalho desenvolvido em prol da região com a declaração de utilidade pública por parte do Governo da Região Autónoma da Madeira. Para além das avaliações nacionais já referidas, o potencial do M-ITI foi também reconhecido internacionalmente, nomeadamente na sua avaliação por um comité internacional, externo ao programa Carnegie Mellon Portugal.

Por forma a manter estes níveis de excelência, foram identificados três domínios estratégicos de aplicação, nomeadamente: Assistive Tecnhologies (Tecnologias de Apoio), reconhecendo que as áreas mais importantes de desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (TIC) estão relacionadas com o desenvolvimento de aplicações que visem o apoio ao envelhecimento, o diagnóstico e a gestão de várias condições de doença; Learning and Digital Culture (Ensino e Cultura Digital), uma vez que papel das tecnologias na educação tem vindo a ganhar cada vez mais importância e é necessário perceber como a sua utilização deve ser feita para que realmente seja úteis e eficazes no processo de aprendizagem e sustentabilidade, uma vez que as Tecnologias da Informação e Comunicação para um Desenvolvimento Sustentável são uma das bandeiras das iniciativas 2020 (2020) da União Europeia, com vista à utilização do potencial tecnológico na melhoria das condições de vida.

De acordo com os estatutos, os associados fundadores do M-ITI são a Universidade da Madeira e o Madeira Tecnopolo, S.A., sendo a Universidade de Carnegie Mellon associado honorário.

São órgãos sociais a Assembleia Geral, a Direção e o Conselho Fiscal. A Assembleia Geral é constituída por um membro representante de cada um dos sócios e presidida pelo Reitor da Universidade da Madeira. A Direção é constituída por três elementos sendo um indicado por um dos sócios fundadores, outro indicado pelo outro sócio fundador e o terceiro indicado por acordo dos sócios fundadores. Os membros da Direção indicam entre si o Presidente da mesma.

Desde a sua fundação, a direção do M-ITI é presidida pelo Professor Doutor Nuno Jardim Nunes, tendo tido como vice-presidentes os professores doutores Leonel Nóbrega, Jos van Leeuwen, Ian Oakley e o engenheiro Alberto Velez Grilo. Atualmente são vice-presidentes o professor doutor Pedro Campos e a professora doutora Valentina Nisi.

Alberto Velez Grilo

Patrícia Lencastre

(atualizado a 10.08.2016)