parque ecológico do funchal

ThD_20120401_3199_cpy000Primeira associação madeirense reconhecida como Organização Não Governamental para o Ambiente de Âmbito local, sendo considerada uma O.N.G.A. n.º 99 Instituição de Utilidade Pública. Foi criada em 1994, com o patrocínio da Câmara Municipal do Funchal, com o objetivo de promover a conservação da natureza e a educação ambiental. Ainda no recinto do parque, uma área de cerca de 10 km2 disponibiliza infraestruturas de recreio e lazer para todos os visitantes e um plano de rearborização do espaço, que acontece sempre aos sábados. Esta situação deverá ter ligação direta com a aluvião de 1993, que se fez sentir de forma violenta e que implicou esta forma de reação dos munícipes e das autoridades, avançando com um plano de rearborização das serras a montante da cidade. Depois com o incêndio de agosto de 2013 tivemos em final do ano a a apresentação de um plano de recuperação do coberto florestal.

As serras que envolvem a norte a cidade do Funchal sofreram, com o tempo, uma erosão devastadora, por força do corte de arvoredos para madeira e lenhas, facilitando a escorrência das águas e os chamados fenómenos devastadores das aluviões que acontecem, com frequência, desde 1803. A isto, juntam – se os ThD_20140706_2969_cpy000diversos incêndios dos últimos anos, sendo de destacar o de 13 de agosto de 2010. Perante esta situação houve necessidade de um projeto de reabilitação do espaço e da reflorestação das zonas queimadas, a que corresponde este projeto do Parque Ecológico do Funchal. Para isso existe o viveiro da Ribeira das Cales. Desta forma o Parque não se resume apenas a ser um centro de interpretação e educação ambiental.

No Recinto da área abrangida pelo parque temos algumas infira-estruturas que merecem referência. O Poço da Neve, cerca do Pico do Areeiro, onde se guardava a neve, que depois servia para fazer os gelados no Funchal. A Estação de tratamento da água dos Tornos, que existe desde 1977 e várias estruturas de apoio.

Tenha-se em conta que, não obstante os vários de planos de reflorestação, o problema nunca ficou resolvido e daí a concertação de esforços do município funchalense e da população que, em regime de voluntariado, tem avançado com esse plano de rearborização das serras sobranceiras do Funchal.

O parque ecológico apostou ainda na educação ambiental, organizando passeios, visitas e publicações específicas que apresentam alguns aspetos da flora e fauna dos cerca de 10 km2 de área do parque. Neste âmbito, é de salientar ainda o trabalho desenvolvido pelo Parque Natural da Madeira, criado em 10 de novembro de 1982, que tem sido a expressão governamental da luta pela defesa da natureza, no arquipélago.

ThD_20140427_2958_cpy000

Nesta missão de salvaguarda da natureza o parque apostou de várias formas na recuperação da flora, criando um “Eden Lifestyle”, através de um protocolo com a Sunlife Style Resorts Ltd, com sede em Chipre.

Bibliog.: ANDRADA, Eduardo de Campos, Repovoamento Florestal do Arquipélago da Madeira, Boletim da Junta Geral, 09, 1957, pp. 36-53; Id., Repovoamento florestal no arquipélago da Madeira (1952-1975), Direcção-Geral das Florestas. Secretaria de Estado da Agricultura. Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação. Lisboa. 1990 NEVES, Henqiue, Conheça o parque natural da Madeira, Funchal, Parque Natural da Madeira, 1992; NOBREGA, Manuel de, Florestas Gados e Águas na ilha da Madeira, Islenha, 01, 1987, 19-37; Id., Os Gados nas Serras da ilha da Madeira, Islenha, 14, 1994, pp.97-112. PESSOA, Fernando, As Serras da Madeira, Atlântico, 11, 1987, 218-220.; SILVA, Fernando Augusto da. O revestimento florestal do Arquipélago da Madeira. Funchal: [S. n.], 1946; edições do Parque Ecológico da Madeira: Borboletas Diurnas do Parque Ecológico do Funchal e do Arquipélago da Madeira, Câmara Municipal do Funchal, 2001; Cartaz das Borboletas Diurnas do Parque Ecológico do Funchal, Câmara Municipal do Funchal, 2001; Colecção da Flora endémica do Parque Ecológico do Funchal – “Arbustos”, Funchal, Câmara Municipal do Funchal, 2001; Colecção da Flora endémica do Parque Ecológico do Funchal – “Árvores”; Câmara Municipal do Funchal; 2001 Colecção da Flora endémica do Parque Ecológico do Funchal – “Plantas Herbáceas”, Câmara Municipal do Funchal; 2001; Conheça as Aves do Parque Ecológico do Funchal, Câmara Municipal do Funchal e SPEA-Madeira; 2007; Guia de Campo das Aves do Parque Ecológico do Funchal e do Arquipélago da Madeira, Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal, 1997; Guia de Campo das Borboletas Diurnas do Parque Ecológico do Funchal e do Arquipélago da Madeira, Câmara Municipal do Funchal e SPEA-Madeira, 2008.

Alberto Vieira

(atualizado a 27.07.2016)