ribeiro, fernando ramôa

Nascido no Monte, no Funchal em 1945, Fernando Ramôa Ribeiro foi engenheiro químico, professor de Química, presidente da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) e, de 2007 até à sua morte, em 2011, Reitor da Universidade Técnica de Lisboa (UTL), tendo sido eleito para dois sucessivos mandatos.

Engenheiro químico de formação, Ramôa Ribeiro foi professor catedrático do Instituto Superior Técnico (IST), no Departamento de Engenharia Química, desde 1988. Após estudos secundários no Liceu Nacional de Aveiro, licenciou-se em 1968 em Engenharia Química-Industrial pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Doutorado em França (Docteur en Sciences) pela Universidade de Poitiers, em 1980, com equivalência a Doutor em Engenharia Química pelo IST-UTL, fez nesta escola a Agregação em Engenharia Química, em 1988. Procurou sempre desenvolver o intercâmbio científico e académico entre Portugal e França, tendo ajudado no lançamento de uma associação de estudantes portugueses de graduação e pós-graduação naquele país.

Chamado a colaborar em tarefas de gestão académica e científica, ocupou diversos cargos relevantes na sua escola e no país, designadamente os de vice-presidente do Conselho Diretivo do IST, entre 1984 e 1987, presidente da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica (JNICT), de 1994 a 1996 (após ter sido vice-presidente), vice-reitor da UTL, de 1999 a 2002, e presidente da FCT, a agência de financiamento do sistema científico-tecnológico nacional que, em 1996, sucedeu à JNICT, entre 2002 e 2005.

Tendo feito investigação principalmente na área da catálise (em particular, a catálise proporcionada por estruturas minerais manoscópicas, designadas por “zeólitos”, que têm aplicações na indústria petroquímica), promoveu a formação de um dinâmico grupo de investigação que atraiu alguns talentosos jovens (Catalysis and Reaction Engineering Research Group – CRERG). Publicou cerca de duas centenas de artigos em revistas internacionais indexadas, assim como uma dezena de livros, um dos quais um manual universitário publicado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Entre as suas obras, destacam-se, por ordem cronológica, Reactores Químicos (2002, 2.ª ed., em coautoria com Francisco José de Lemos e José Madeira Lopes), Zeólitos: Um Nanomundo ao Serviço da Catálise (2004, em coautoria com Michel Guisnet); As Indústrias Químicas em Portugal: Perspectivas para o Século XXI (2007), O Futuro e o Passado: Tomada de Posse do Reitor da UTL (2007, em coautoria com Jorge Calado) e A Energia da Razão (2009).

Foi membro da Academia das Ciências de Lisboa e membro e Conselheiro da Ordem dos Engenheiros, tendo presidido ao Conselho Nacional do Colégio de Engenharia Química dessa Ordem. Promoveu a indústria química nacional, procurando alargar a sua colaboração com a academia, pelo que não admira que a empresa GALP Energia, na refinaria de Sines, tenha criado um polo de investigação com o seu nome. Foi ainda autor de uma patente europeia.

Protagonizou numerosas atividades de intercâmbio internacional. Entre 1989 e 1997, foi membro da Comissão Científica da NATO, e, entre 1989 e 1996, governador do Joint Research Center da União Europeia. Em 2011, foi condecorado pelos Presidentes da República de França e de Portugal com a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública.

Pessoa de fino trato, para quem era fácil não só fazer como manter amigos, Fernando Ramôa Ribeiro foi não só um brilhante cientista como um gestor de ciência e académico excecional, procurando com habilidade consensos para sair das situações mais difíceis. Faleceu a 29 de agosto de 2011, vítima de cancro, quando muito havia ainda a esperar da sua experiência e clarividência. A 8 e 9 de outubro desse ano, decorreu no Salão Nobre do IST um simpósio científico em sua homenagem sob o título Catalysis: From the Active Site to the Process, e a 4 de Janeiro de 2012 decorreu na Reitoria da UTL uma cerimónia em sua honra. Uma residência universitária no campus do IST no Taguspark tem hoje o seu nome.

Obras de Fernando Ramôa Ribeiro: Reactores Químicos, 2002; Zeólitos: Um Nanomundo ao Serviço da Catálise, 2004; As Indústrias Químicas em Portugal: Perspectivas para o Século XXI, 2007; O Futuro e o Passado: Tomada de Posse do Reitor da UTL, 2007; A Energia da Razão, 2009.

Bibliog.: Arquivo de Ciência e Tecnologia da FCT: http://act.fct.pt/historia-da-ciencia/protagonistas/fernando-ramoa-ribeiro-1945-2011 (acedido a 23 jul. 2015); IST – Simpósio de homenagem a Fernando Ramôa Ribeiro: http://scrr.ist.utl.pt (acedido a 23 jul. 2015); Boletim da Sociedade Portuguesa de Química – Notícia do simpósio de homenagem: http://www.spq.pt/magazines/BSPQ/658/article/30001792/pdf (acedido a 23 jul. 2015).

Carlos Fiolhais

(atualizado a 28.02.2016)