vieira, francisco manuel homem de gouveia favila

Nascido no Funchal a 31 de maio de 1932, Francisco Manuel Homem de Gouveia Favila Vieira foi o segundo filho de Fernão Henriques Perestrelo Favila Vieira e Dulce Cândida Homem de Gouveia Favila Vieira. Casou-se com Maria da Graça Azevedo e Lemos Gomes Favila Vieira, de quem teve cinco filhas.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa, entre 1960 e 1965 trabalhou, como engenheiro civil, para a Direção-Geral da Aeronáutica Civil (DGAC), na Brigada de Aeródromos das Províncias Ultramarinas e no quadro técnico da respetiva Direção do Serviço de Obras. Participou nos estudos e projetos dos aeroportos ou aeródromos de Lisboa, S. Miguel (Açores), Praia, S. Vicente, Maio e Boa Vista (Cabo Verde); fiscalizou as obras de reforço e ampliação da pista e das plataformas do aeroporto de Bissau, da pista 03/21 e novos caminhos de circulação do aeroporto de Lisboa, e da construção do primeiro aeroporto do Funchal; deu assistência técnica aos trabalhos nos aeródromos de Praia, S. Vicente, Maio e Boa Vista, em Cabo Verde; e apoiou as obras do aeroporto de S. Miguel, Açores.

Entre 1965 e 1997, integrou os quadros da Profabril – Centro de Projetos, S. A., em Lisboa. Foi engenheiro do respetivo Serviço de Engenharia Civil, adjunto do chefe desse serviço e depois chefe do mesmo, responsabilizando-se pela coordenação e o planeamento de inúmeros projetos de engenharia civil nos domínios de infraestruturas, terraplanagens, arruamentos e parques, redes de drenagem e esgotos, pavimentação rodoviária e industrial, redes viárias e ferroviárias. Chefiou a equipa de engenharia encarregada do planeamento físico das áreas dos portos de Lisboa e Setúbal e dirigiu os departamentos de Engenharia Civil, Trabalhos Marítimos, Arquitetura, Estruturas, Instalações Eletromecânicas, Laboratório de Solos e Betão, Medições e Orçamentos e Supervisão de Obras da Profabril. Foi ainda diretor-geral da área de Tecnologias e Serviços Gerais e administrador dos Serviços de Obras Públicas e Edifícios da mesma empresa.

Participou no Conselho de Administração da NORMA – Sociedade de Estudos para o Desenvolvimento de Empresas, S. A., bem como em diversos cursos, congressos e simpósios, como o Congresso Internacional de Engenharia Aeroportuária em S. Paulo (1962) e a Conference on Civil Engineering Problems Overseas, em Londres (1971). Foi membro do Agrupamento Português de Mecânica dos Solos e da Rocha, da Associação Técnica da Indústria do Cimento e da Ordem dos Engenheiros, de cujo Conselho Diretivo da Região Sul foi vogal entre 1977 e 1979. Teve colaboração avulsa, em especial poética, em diversos jornais e revistas, nomeadamente no Jornal da Madeira, na Revista Portuguesa e no Debate.

O seu desempenho na fiscalização da construção do primeiro aeroporto do Funchal, em 1964, levou a DGAC a propor a condecoração que então lhe foi atribuída pela Presidência da República Portuguesa: o grau de Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Maria João Favila Vieira Carmona

(atualizado a 24.08.2016)